sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Como separar a gema da clara

Algumas pessoas tem verdadeiro horror de lambrecar as mãos na hora de separar a gema da clara do ovo. Mas os chineses postaram um vídeo na internet que está fazendo o maior sucesso! Até na Ana Maria Braga ele apareceu hoje!  Para você que não gosta de bagunça e quer cozinhar sem sujar muito as mãos com os ovos, vale conferir o vídeo abaixo. É realmente sensacional!


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Belo Horizonte Restaurant Week

Com a proposta de democratizar a alta gastronomia, a quinta edição do Belo Horizonte Restaurant Week acontece entre 27 de agosto e 09 de setembro. Os restaurantes participantes oferecerão menus com entrada, prato principal e sobremesa por R$ 31,90 no almoço e R$ 43,90 no jantar, mais R$ 1,00 para o Instituto Ayrton Senna. Mais uma excelente oportunidade para os apreciadores da boa gastronomia degustarem menus especialmente elaborados para o evento, nos melhores restaurantes da cidade. 

Cada restaurante chama a atenção com algum item bem especial.Alegria de comer bem, um restaurante na Rua Congonhas traz de entrada um Creme de menta com aspargos. O Restaurante Bangkok , primeiro restaurante de cozinha tailandesa de BH, oferece entrada de Rolinho de carne de siri com molho banana picante. E o Bistro da Matilda, (que eu adoro!) uma Salada de codorna com feijão fradinho e gergelim. A Borracharia Gastropub apresenta de entrada um lombo na fumaça com mel e pepino em conserva. O Copa, restaurante de comida mediterrânea inicia o menu com Pinchos Enamorados, Montaditos com presunto copa e rabanada com Pisto Castellano.
O Ah! Bon Lourdes me chamou atenção com o prato principal, uma paleta de cordeiro em baixa temperatura com redução de cordeiro e gnocchi romano ao creme de gruyère. Parece muito bom! Já o D Artgnan Bistro, vem com o tradicional Coq au Vin, frango ao vinho tinto com batatinhas e mini cebolas. O Duke n Duke, um Pub, conhecido pelos burgers artesanais, apresenta um Burger dupla face de bovino e linguiça de lombo, campanha de cebola cristal com pimenta biquinho, alface americana e queijo Canastra, no pão francês redondo.
O Flores atrai bastante por uma opção de sobremesa que é uma sopa de chocolate com avelãs e Croutons. Isso deve ser divino!
São várias opções de saladas, muitas brusquetas, muitas polentas de diversos tipos, várias sobremesas com frutas e chocolate. Em restaurantes tradicionais os doces típicos estão sendo lembrados e colocados à mesa. Doce de leite, goiabada e ambrosia podem ser vistos nos cardápios oferecidos. 
Alguns inovam pouco enquanto outros são extremamente criativos na criação dos menus. Vale a pena conferir. O site do Restaurant Week é muito bem feito. Além da busca pelo nome, pode-se selecionar pela especialidade do restaurante ou pela localização. Eu sou fã do evento. Acho a proposta muito bacana, pois permite a todos experimentar pratos de grandes chefs em estabelecimentos que por vezes não são financeiramente muito acessíveis. Aproveitem para fazer uma verdadeira farra gastronômica nesses dias e bon appétit!

domingo, 26 de agosto de 2012

Bolo de chocolate com coco

Outro dia peguei essa receita num blog delicioso chamado Rainhas do Lar. Ficou guardada aqui por uns tempos e esse final de semana resolvi testar. O bolo é uma delícia!
Ele é feito em três etapas. As quantidades são para uma forma de bolo inglês ou uma desmontável pequena.

A primeira dela é a massa. Para fazê-la misture 125 g de manteiga amolecida com 125 de açúcar. Depois junte 3 gemas, uma a uma e continue misturando manualmente. Acrescente 1 colher (das de sopa) de essência de baunilha. Depois vá jogando ao poucos 175 g de farinha, 1 colher (das de sopa) de fermento em pó e 3 colheres (das de sopa) de cacau em pó. Misture tudo muito bem e reserve. Bata 4 claras em neve na batedeira. Reserve 1/4 dela. O restante deve ser incorporado delicadamente à massa.

Agora pegue aquele 1/4 de clara em neve que reservou e junte 100g de coco ralado (separe 1 colher desse coco para enfeitar depois), 100 g açúcar, 1/2 colher de maizena e 2,5 colheres (das de sopa) de creme de leite. Esse será o recheio do bolo. Agora pegue uma forma de bolo inglês ou uma desmontável pequena, unte com manteiga e polvilhe farinha de trigo para o bolo sair mais fácil.
Coloque a metade da massa de chocolate na forma e acerte com uma espátula. Junte o recheio, dê uma ajustadinha para não ficar desnivelado e coloque o resto da massa de chocolate. Asse em forno médio por cerca de 30 minutos, ou até espetar com um palito e o mesmo sair sequinho.
Para a cobertura fiz uma ganache com 1 barra de chocolate meio amargo derretido e o restante da lata de creme de leite que usei para a massa. Mas um brigadeiro mole também fica bom. Polvilhe um pouco de coco ralado por cima para enfeitar e bon appétit!         

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes


Começa no próximo final de semana o Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes. Um dos maiores eventos de alta gastronomia do país, reúne chefs de cozinha de diversas partes do Brasil, do mundo e artistas conceituados. A 15ª Edição do Festival contará com chefs brasileiros (de São Paulo, Recife, Manaus, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza, Timbau do Sul e Belém) e internacionais (do Peru, Chile, Espanha e Venezuela).
A programação dos festins contará com chefs renomados, cursos e oficinas, degustações, exposições, shows e performances artísticas gratuitas no Espaço SENAC no Largo do Chef e na Pousada Escola SENAC.
As inscrições para palestras e oficinas são feitas presencialmente durante o evento. Clique neste link para ver a programação. Já para conferir a lista dos restaurantes oficiais click aqui.
Eu já fui em uma das edições do Festival e posso garantir aos apreciadores da boa gastronomia que vale a pena. Os cardápios do festival, geralmente, são superfaturados, na minha opinião. Mas, mesmo assim, há quem diga que vale mais um gosto que um desgosto. Portanto, aproveitem e Bon appétit!



domingo, 19 de agosto de 2012

Canelone

Neste domingo, após participar da primeira caminhada pela paz promovida pela OAB-MG lembrei que não havia preparado nada para os posts da semana. Fui ao supermercado sem saber ao certo o que comprar. Me deparei com a massa pronta para lasanha e canelone e resolvi inventar alguma coisa com ela. Confesso que adorei o prato que fiz.
Piquei 1 cebola branca e 1 roxa bem miúdas. Joguei na panela duas colheres de azeite e assim que estava quente dourei as cebolas. Acresci 300g de carne moída, sal e pimenta do reino para temperar. Depois juntei 2 colheres (das de sopa) de extrato de tomate e misturei bastante. Conferi o sal, joguei um pouquinho de molho de pimenta, cerca de 1/2 colher (das de chá) para finalizar. Essa quantidade de carne dá para rechear cerca de 20 a 24 canelones. 
Peguei 1/2 vidro de polpa de tomate e temperei com sal e pimenta do reino. Mas bem leve para não salgar demais o prato.
Em um refratário, joguei polpa de tomate para receber os rolinhos que logo iria preparar. Liguei o forno para deixá-lo já aquecido.

Peguei a massa do canelone, dessas já prontas que não precisam cozinhar. Cortei ao meio. Em cada pedaço passei a polpa de tomate, coloquei 1 fatia de presunto, 1 fatia de muçarela e 1 colher (das de sopa), não muito cheia, da carne moída que havia preparado. É importante passar esse molho de tomate no interior para que a massa não fique dura. Ou outra alternativa é passar por fora também. Enrolei e fui montando como na foto. Feitos os rolinhos dos canelones, joguei mais polpa de tomate por cima e levei ao forno por 30 minutos. Assim que retirei enfeitei com manjericão e salpiquei queijo parmesão no prato. Depois foi só deliciar! Ficou tudo de bom! Bon Appétit!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Omelete de claras


Para a turma do esporte, ótima dica para depois do treino. Para quem vive de dieta, boa escolha para perda de peso. E para quem gasta muita energia no dia-a-dia, uma eficiente fonte para reposição de proteínas. 
Quem me conhece sabe muito bem que não sou lá das mais fãs de ovos... Mas para tentar manter um pouco a forma e fazer valer o esforço da academia, resolvi aplicar a regra das proteínas aos pós-treinos indicada pelo meu queridíssimo personal trainer, Vitor Medrado. Assim, resolvi testar a receita da omelete de claras. E não é que ficou bom?!


As claras dos ovos são ricas em albumina, que é uma proteína, vitamina E e do grupo B, zinco, selénio, ferro e iodo. Contribui para a saúde da pele, unhas cabelo, melhora a atividade enzimática e controla a actividade da glândula tiróide. Após praticar esportes ou mesmo musculação, o corpo precisa reabastecer as reservas energéticas dos músculos com o consumo de carboidratos e também necessita de fontes de proteína para a construção e recuperação das fibras musculares. E as claras são muito bem vindas para exercer essa função! 
Convencidos que este é um prato realmente nutritivo e que vale a pena experimentar? Então vamos lá!
Peguei no youtube a receita e fiz exatamente como no vídeo. As quantidades que passo aqui é para 1 pessoa.
Comece picando 1/4 de tomate sem sementes e o equivalente a 1 colher (das de sopa) de queijo minas light picado miúdo em cubos. Separe 3 claras das gemas e reserve. Vamos precisar, ainda, de sal, pimenta do reino, 1 colher (das de sopa) de manteiga e cebolinha picadinha.
Acenda o fogo médio e coloque a manteiga na frigideira para derreter. Jogue as 3 claras e vai mexendo a frigideira de um lado para o outro, espalhando as claras devagarinho até que ela fique firme. Tempere com uma pitada de sal e pimenta do reino. Jogue um pouquinho de cebolinha, cerca de 1 colher (das de chá). Acrescente da parte do meio para um dos lados os tomates picados e o queijo minas. Tempere mais um pouco com 1 pitadinha de sal, pimenta do reino e orégano. Com uma espátula, pegue a outra metade da omelete que está sem recheio e cubra a parte cheia para fechar. No vídeo do youtube que eu vi, o chef de cozinha dá aquele pulinho com a frigideira para fazer isso. Mas não é necessário correr o risco de fazer uma lambança no fogão! Pode fechar calmamente com a espátula que dá o mesmo resultado! Depois de fechar, pressione um pouquinho por cima e retire cuidadosamente da frigideira para não quebrar. Sirva com salada de folhas temperada com azeite e sal.
Bon appétit!


terça-feira, 14 de agosto de 2012

III Feira Gastronômica Internacional de Lima

De 9 a 12 de setembro, acontece em Lima, no Peru, a Feira Gastronômica Internacional Mistura 2012, um evento que reúne diversos chefs conhecidos ao redor da culinária peruana. No local estarão representadas todas as regiões do Peru em mais de 54 restaurantes, 16 cozinhas rústicas e 70 quiosques móveis. Nesta edição há destaque também pelo recorde de chefes internacionais. Entre eles a brasileira Roberta Sudbrack; a única mulher a receber cinco estrelas do guia Michelin, Camen Ruscalleda; Alain Duccase, considerado uma das 100 pessoas mais influentes do mundo segundo a revista Forbes; e Elena Arzak, considerada a Melhor Chef do Mundo Veuve Clicquot pela revista Restaurant. 
Segundo os organizadores mais de 500 mil pessoas devem passar pela "Mistura", que irá ampliar o número de pavilhões, nos quais serão expostos mais de 350 produtos trazidos de todas as regiões do Peru. 
Este ano a feira promete usar 100% de material biodegradável para servir os pratos e serão oferecidos diversos prêmios, como o Teresa Izqueiro - dedicado a cozinheiras empreendedoras de Lima; Melhor Cozinheiro Jovem; Melhor Doceiro Jovem; e Melhor Padeiro. Durante a Mistura 2012 também haverá diversos espetáculos de dança e música que mostram a identidade peruana. 
A Speed System preparou pacotes exclusivos para você aproveitar essa experiência única. 
Por Adriano Ferreira
Fonte: Texto adaptado de informações do governo peruano, www.peru.travel e uol.com.br 
Informações e reservas: Renata Azevedo 
Telefone: (31) 3298.1000 - Celular: (31) 9958.0628
R. Marília de Dirceu 173 - Lourdes. Belo Horizonte / MG - CEP - 30.170-090 

domingo, 12 de agosto de 2012

Costela ao barbecue

Esses dias me deu uma louca vontade de comer costela com molho barbeucue. Lembrei que minha mãe fazia uma maravilhosa e logo fui em busca da receita, que, na verdade, praticamente nem existe! Mas há um detalhe importante. Na hora de comprar a costela, deve-se escolher a defumada. Esse detalhe realmente é essencial. Pois a costela fresca não permite a separação da carne do osso com a mesma facilidade da defumada. E para fazer essa maravilha que estão vendo na foto, basta cobrir um tabuleiro com papel alumínio e cobrir a costela, dos dois lados com molho barbecue, daqueles comprados em supermercados. 40 minutos em forno alto pré-aquecido e pronto! Basta de deliciar... Para acompanhar, servi salada verde com amêndoas e croutons e batatas assadas, aquelas que ensinei no post do hambúrguer. Experimente! Tenho certeza que será sucesso garantido!
Bon appétit!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ciranda Herdade de Coelheiros

Certas ocasiões recebo o carinho de pessoas muito queridas através de belas e maravilhosas garrafas de vinhos. Foi numa dessas ocasiões que um grande amigo, uma pessoa muito especial, gentilmente trouxe-me a dupla Ciranda tinto e Ciranda Branco. Experimentei cada um deles em momentos distintos, mas posso afirmar que nos dois a experiência foi divina.


                              

O Ciranda tinto é muito saboroso frutado. Do Produtor Herdade de Coelheiros, que fica na região de Alentejo, em Portugal, é um vinho perfeito para ter sempre na Adega.
Elaborado a partir das uvas Aragonês, Trincadeira e Syrah, com teor alcoólico de 13,5%, deve ser servido a temperatura variável entre 14 a 16 ºC.
Eu experimentei a safra 2010 e não encontrei qualquer defeito. Sugere-se a guarda de até 5 anos e harmonização com carnes assadas ou grelhadas e queijo.
Já o Ciranda Branco, fresco e aromático, tem um estilo fácil de gostar, é um vinho perfeito para aperitivos ou para acompanhar peixes e entradas. Mostra um ótimo frescor e um cativante toque frutado no palato. Um branco de ótima relação qualidade/preço, que promete ser um dos "best buys" do Alentejo.
Elaborado a partir das uvas  Arinto e Roupeiro com teor alcoólico de 13%, deve ser servido a temperatura variável entre 7 a 9 ºC e harmonização com  entradas leves e aperitivos.
Rótulos que valem a pena anotar na lista de favoritos!
Saúde!

domingo, 5 de agosto de 2012

Salada Caprese

Outro dia um visitante do blog que acompanha os posts pelo facebook me pediu uma receita de salada caprese. Fui em busca da receita mais prática, óbvio. Mas que, ao mesmo tempo, fosse fiel ao conceito dessa salada. Existem diversas formas, todas elas com singelas diferenças na receita, porém muitas alternâncias na forma de servir. Consultando a minha mãe, soube que apesar de ficar bem bonito no prato colocar fatias alternadas de tomate, muçarela e manjericão, o formato original é esse da foto, com todos os ingredientes misturados.
Para a salada corte 1 kg de mussarela de búfala e tempere com uma pitada de sal. Regue com um fio de azeite, misture delicadamente e reserve. Corte também 5 tomates em cubos e também tempere com uma pitada de sal. Com as mãos, misture os ingredientes e deixe escorrendo em um escorredor de macarrão ou de arroz enquanto prepara o molho. Para os mais práticos e preguiçosos, vale também utilizar o molho pesto que compramos já pronto no supermercado. Mas ele é simples para fazer.
Bata no liquidificador 2 xícaras (das de chá) de folhas de manjericão fresco, 2 dentes de alho, 3 colheres (das de sopa) de pinolis ou de nozes sem casca picadas, 1/2 xícara (chá) de parmesão ralado, 1/2 xícara (chá) de azeite de oliva e uma pitada de pimenta-do-reino até ficar homogêneo.
Na hora de servir, misture os tomates e a muçarela, espalhe um pouquinho de molho pesto sobre eles e . decore com as folhas de manjericão. O restante do molho sirva à parte.
Bon appétit!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

JP Chenet Cabernet Syrah Tinto

JP Chenet Cabernet Syrah me encantou, inicialmente, pelo formato da garrafa medieval, torta, que lhe traz um certo charme. Em segundo lugar, o quase impossível custo benefício de um bom vinho francês. Aqueles que gostam de vinhos mais encorpados não apreciarão o JP Chenet. Mas mas quem ama vinhos mais suaves, como eu, pode incluir na próxima lista de compras, pois vale a pena!
Em 2007, Gil Mesquita fez uma dura crítica a esse vinho no blog Vinho para todos, dizendo ser muito simples, sem atrativos ou complexidade. Mas os comentários dos visitantes do blog, em sua maioria elogiaram bastante o JP Chenet. Como outro dia eu li que não podemos ser rigorosos com os vinhos para classificá-los como bons ou ruins, o ideal é experimentá-los e conferir se agradam ou não ao paladar de cada um. Um deliciosa experiência química.
A seguir transcrevo as características comerciais para aqueles que realmente entendem o assunto e queiram conferir mais informações desse vinho que foi medalha de prata no Vinalies Internationales 2006 - França/Paris, onde participaram 2.770 amostras de 35 países.

Vinho francês tinto meio seco, elaborado a partir de uvas viníferas das variedades Cabernet Sauvignon e Syrah, cuidadosamente selecionadas em vinhedos ao sul da França, próximo ao Mediterrâneo. Possui cor vermelho intenso, aroma com um bouquet de frutas vermelhas como cerejas e amoras. Este vinho acompanha uma grande variedade de pratos, sobretudo carnes, saladas e um grande número de queijos.  É produzido por Les Caves de Landiras, na região francesa do Languedoc. Na classificação francesa é um vin de pays D'OC, uma categoria superior aos vin de table e inferior aos AOVDQS e AOC. Nesta categoria, encontram-se vinhos elaborados segundo regras restritas e são provenientes de pequenas regiões não AOC, como departamentos, províncias, distritos ou comunas. Em razão disso, há mais liberdade ao produtor, como a autorização para constar no rótulo a variedade das uvas que entram na composição dos vinhos, como neste cabernet sauvignon-syrah. Vamos ao resultado prático: No copo, cor púrpura muito escuro, próximo ao roxo, com pouca transparência. Vinho jovem, com formação de discretas lágrimas. Pouca intensidade aromática, com notas florais (provavelmente violeta) que permaneceram mesmo com o copo vazio. Não havia sinais de passagem por madeira. Vinho leve, pouco corpo. Gosto característico das uvas utilizadas. Palato finalizando com notas de goiaba. Taninos bem escondidos, indicando ser um vinho que não suporta guarda. Melhor bebê-lo em 2 anos, no máximo. Final de pouca persistência, mas agradável. 

Santé!

Fonte: http://www.vinhoparatodos.com/2007/03/jp-chenet-cabernet-syrah-2005.html