domingo, 3 de junho de 2012

Canapés afrodisíacos

"A gula é um dos caminhos mais diretos para a luxúria e, se avançarmos um pouco mais, para a perdição da alma. Por isso luteranos, calvinistas e outros aspirantes à perfeição cristã comem mal. Os católicos, em compensação, que nascem resignados ao pecado original e às fraquezas humanas, e que são purificados pelo sacramento da confissão, prontos para tornar a pecar, são muito mais flexíveis com relação à boa mesa, tanto que cunharam a expressão "boccata di cardinale" para definir algo delicioso. Ainda bem que fui criada entre os segundos e posso devorar todas as guloseimas que desejar sem pensar no inferno, só nos meus quadris..." Izabel Allende


Para começar a semana com mais uma receita especial da série mês dos namorados, trago-lhes canapés afrodisíacos. Utilizei uma daquelas forminhas de metal em formato de coração para dar um charme a mais no petisco. Mas vocês podem cortar uma fatia de pão de forma sem casca em quatro quadrados que também ficará bom. O primeiro que está à direita é de queijo brie com amêndoas. O queijo não possui nenhuma qualidade afrodisíaca aparente. Nesse caso, apenas a sofisticação é a que importa. A amêndoa, por sua vez, como disse no post do primeiro cardápio sugerido para o dia dos namorados, pode ser um ingrediente bem interessante, como excitante natural para as mulheres...

Já o canapé com cream cheese e caviar ou ovas tipo caviar, que foram as por mim utilizadas, já vêm com um "que" de afrodisíaco bem mais marcante! Afinal, essas ovas extraídas do peixe esturjão têm relação direta com a fertilidade e dizem que pode ser poderoso e excitante após devorado. Eu, particularmente, aprendi a dar valor ao sabor do caviar bem mais tarde. Quando criança, lembrava-me muito dos canapés com caviar na casa de meu saudoso Tio Raul e não achava graça alguma naquilo. Mas confesso que hoje vejo como aquele tio que foi um pouco meu avô, além de intelectual elegante, sabia muito bem apreciar belos acompanhamentos ao seu whisky que tomava sempre como aperitivo. Como diz Izabel Allende, o valor no mercado do caviar já o torna afrodisíaco o suficiente para querer saboreá-lo. Mas eu vou um pouco mais além. Essas pequeninas ovas explodindo na língua após mordidas trazem certa magia e mistério no momento de degustação.

E para finalizar, um canapé bem simples, de baixo custo, formato fálico e levemente afrodisíaco. A pimenta biquinho não possui a ardência, o sabor forte e picante das outras pimentas. Apenas um toque bem leve e uma crocância divina! Para fazer esse petisco eu passei queijo minas frescal no processador, adicionei uma pimenta por cima e finalizei com um toque de azeite. Se sua pimenta for aquela em conserva, o tempero estará pronto, mas caso seja a natural, como a que utilizei, é interessante saltear uma pitada de sal e outra de pimenta do reino para um toque especial. 

Petiscos leves, com apresentação interessante e agradável que podem fazer o seu momento do dia dos namorados ser inesquecível...

Bon appétit!

Nenhum comentário:

Postar um comentário