terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Atum com salada de broto de feijão e cogumelos


Nesse último domingo fiz um d e l i c i o s o e super light almoço para minhas amigas. Em primeiro lugar, uma salada extremamente crocante e diferente, com um molho surpreendente e que me demandou uns 15 minutos para ficar pronta! E em segundo lugar, um atum com gergelim sensacional!


No livros Saladas, que já recomendei em outro post para vocês aqui no blog, o título desse prato é broto de feijão com cogumelos e tomates. Inicia-se com o molho. Ele leva 3 colheres (das de sopa) de óleo de girassol; 1 colher (das de sopa) de óleo de gergelim tostado (mas esse não foi para minha receita porque eu não o tinha aqui. Não sei dizer qual a diferença fez no sabor, mas o meu molho foi sem este ingrediente e correu tudo bem!); 1 colher (das de sopa) de vinagre de vinho branco; 2 colheres (das de sopa) de suco de limão; 1 colher (das de sopa) de molho de soja; ½ colher (das de chá) de mostarda preparada (vende o vidro em qualquer supermercado); ½ colher (das de chá) de páprica doce; - ½ colher (das de chá) de sal (a receita original sugere o sal marinho). Junte todos esses ingredientes em uma vasilha e mexa-os bem com um fuet ou qualquer outro batedor manual que tiver!

Para montar a salada pique o equivalente a 1/4 de xícara (das de chá) de pimentão verde cortado em cubos (eu coloquei mais ou menos 1/2 xícara, achei 1/4 muito pouco!); 1 xícara (das de chá) de tomate sem sementes cortado em cubos ou tomate cereja cortado ao meio (esta última foi a minha opção); 250 g de broto de feijão e 100g de cogumelo de paris fresco (ou shimeji) fatiado (eu usei o paris). Costumo lavar muito bem esses cogumelos frescos porque eles vem sujos demais. Porém, por acaso eu li num outro blog hoje, que é possível descascar o cogumelo retirando uma fina pele dele. Realmente deve ser muito melhor do que aquela peleja de ficar esfregando com bucha um por um debaixo da água da torneira. Mas vamos lá! Junte ao molho o tomate, o pimentão e broto de feijão e misture-os com um garfo para soltar os brotos. Pique os cogumelos em fatias finas. Na hora de servir junte-os aos outros ingredientes com cuidado para não quebrá-los. A salada está pronta! Mas atenção, não aconselho fazê-la com antecedência, pois ela poderá perder um pouco da crocância. Boa notícia: uma porção dessa maravilha de salada tem apenas 130kcal!
E agora o acompanhamento. Como diz minha mãe: "mais fácil que morder água"! No livro ele se chama atum ao molho de gengibre e soja. Eu comprei no supermercado quatro postas de atum já bem cortadas e limpas, então não tive o trabalho de limpar o peixe, etc. Aconselho o mesmo! Para fazer esse atum, também vamos começar pelo molho. Descasque um pedaço de aproximadamente 5 cm de gengibre e rale-o em um ralo fino. Esprema a polpa que acabou de ralar e guarde o suco dela. A parte seca pode ser descartada. Em uma vasilha junte esse suco do gengibre com 2 colheres (das de sopa) de molho de soja; 2 colheres (das de sopa) de açúcar branco; 2 colheres (das de sopa) de vinagre de arroz e 2 colheres (das de sopa) de mirim (um vinho doce de arroz, que também não aqui e então, não utilizei). Misture bem esses ingredientes e coloque as postas do atum ou o pedaço inteiro que comprar no molho para marinar durante 10 minutos. Vá virando o peixe para pegar tempero dos dois lados.

Em uma panela média aqueça o molho em fogo médio e coloque o atum para cozinhar. Deixe 2 minutos de um lado e mais 2 minutos do outro, contados no relógio! Não pode ser mais de jeito algum! Pois somente com esse tempo que conseguirá o ponto exato do atum levemente tostado do lado de fora e cru no interior. Simplesmente fabuloso! Retire o peixe da panela e jogue o molho que sobrou por cima dele. Há duas opções de servir: a primeira é, após jogar o molho por cima, enfeitar o atum com 1 colher (das de sopa) de gergelim branco moído, 1 colher (das de sopa) de gergelim preto moído e finas fatias de gengibre para enfeitar. Essa foi a forma que servi aqui em casa e que todas adoraram! Fiz uma "cama" de rúcula e coloquei as postas por cima para levar à mesa. A outra forma que a receita sugere é após deixar um tempo na geladeira para pegar um pouco mais o tempero do molho. Mas aí eu imagino que deve depender da situação na qual o peixe será servido e do gosto de cada um. Eu preferi a opção quente. O tempo de preparo também é muito rápido e vale a pena oferecer quando seus convidados gostarem de peixe, especialmente de peixe cru! 
Bon appétit!

Nenhum comentário:

Postar um comentário