terça-feira, 29 de novembro de 2011

Fudge de chocolate e pistache

Esse Fudge de chocolate e pistache é mais uma das gordudices da Nigella.
Extremamente fácil de se fazer, rápido e indescritivelmente maravilhoso de tão perfeito e saboroso! Sabe aqueles doces que você enche a boca d'água quando lembra? Pois esse é um deles!
Basta derreter 350g de chocolate amargo com 70% de cacau (não se encontra esse 70% fácil, então pode fazer com o de 55% ou um chocolate meio amargo que dá no mesmo), junte 1 lata de leite condensado, 30g de manteiga, uma pitada de sal (1 colherinha rasa das de café). Em fogo baixo mexa até que tudo esteja derretido e misturado. Para picar o pistache (150g)  ela usa a mesma técnica das barrinhas de chocolate, sugere colocá-lo dentro de um saco plástico e passar o rolo de macarrão/pastel por cima. É bem prático! O pistache se quebra em pedaços irregulares, grandes e pequenos. Junte os pistaches à mistura de chocolate derretido e mexa bem.
Pegue um tabuleiro ou assadeira e cubra com papel-alumínio. Jogue por cima desse papel a mistura e alise a superfície com uma espátula. Deixe esfriar e leve à geladeira até ficar firme (aproximadamente 2 a 3 horas). Assim como fiz com as barrinhas de chocolate, o meu ficou da noite para o dia. Quando retirar da geladeira, corte em pequenos pedaços, com cerca de 3,5 x 2,5 cm. 
E agora a ótima ou péssima notícia, dependendo do ponto de vista, que a Nigella traz sobre essa receita: O fudge pode ser conservado no freezer – e não precisa nem descongelar, é só comer direto da geladeira. Ou seja, dá para fazer a gordudice e guardar para o momento de desespero por um chocolate! Mas e aí? Vai resistir à tentação e conseguir guardar algum pedaço para mais tarde?
Bon appétit!


Nada se perde, tudo se devora!

Sabe a carne que sobrou do jantar ou do almoço de ontem? Dê um destino saboroso a ela!
Desde pequena via a Lourdes, que trabalhou lá em casa 18 anos, fazer na sexta-feira do tal arroz de forno. Mamãe brincava que era o prato do dia da preguiça.
Claro! É muito simples. É quase um mexido sem feijão que ao invés de ir para panela, vai ao forno. E fica bom!
Outro dia esse restinho de filet estava dando sopa na geladeira eu eu não tive dúvida! Misturei arroz, uma lata de seleta de legumes, salsinha e cebolinha. Polvilhei um pouquinho de parmesão por cima e mandei para o forno. Hummmm... Trouxe-me o sabor da sexta-feira da preguiça da Lourdes...
Se você quiser que fique ainda melhor, sirva com batata palha.
Dá também para fazê-lo um pouco mais molhadinho misturando molho de tomate (umas 3 colheres das de sopa). Fica excelente!
Dá para fazer enformado também no prato, como fazemos com arroz.
Fica fofo! Mas essa foto ficarei devendo a vocês. Fiquei tão apaixonada com os detalhes dessa mistura que acabei fotografando praticamente apenas os ingredientes e me esqueci do resto.
Mas fica aí mais uma dica para aproveitar o que se tem na geladeira, evitando o desperdício e fazendo alguma coisa saborosa.
Bon appétit!





segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Salada de Batata

Alguns pratos nós adoramos, mas esquecemos de fazer.
A salada de batata com salsichão é um deles.
Um prato delicioso, super rápido, prático e que pode ser feito a qualquer hora.
É bom lembrar sempre que for ao supermercado, pegar um salsichão para deixar no congelador. A qualquer momento pode bater essa vontade de comer a salada de batata e aí fica bem mais fácil!




Uma dica da minha avó para comprar frutas verduras e legumes: "escolha sempre os menores, pois eles são os mais saborosos". Eu sigo à risca esse conselho e sempre procuro os pequenos.
Bom, para fazer essa salada de batata que daria para aproximadamente 4 pessoas, eu usei 4 batatas e 2 maçãs.
Basta colocar a batata para cozinhar em água com sal. Finque o garfo e se estiver macia, pode desligar o fogo. Deixe esfriar. Descasque as batatas e pique-as em cubos não muito pequenos para não desmanchar.
Descasque também as maçãs e corte no mesmo formato das batatas.
Misture 2 colheres (das de sopa) de maionese e 1 colher (das de chá) de mostarda (eu gosto mais da escura, mas use a de sua preferência). Jogue essa mistura em cima das batatas e maçãs e misture para ficar homogênea. Caso você queira que a salada fique mais cremosa, dobre a quantidade de maionese e mostarda.
Salsinha e/ou cebolinha para enfeitar são sempre bem vindas! Dão um toque especial e finalizam com charme.
Agora vou passar uma dica de marca de salsichão. Sim! Existe salsichão muito melhor do que o que costumamos comprar por aí a granel!
É a marca Seratti. É um pouco mais cara que as outras, mas é de altíssima qualidade. Vale a pena experimentar.
Bom, então para essa segunda-feira, fica essa dica super simples e deliciosa que todos devem saber fazer, mas apenas não recordavam o quanto era fácil!
Bon appétit!





domingo, 27 de novembro de 2011

Para alegrar o domingo

Para alegrar o domingo, vou compartilhar um vídeo para os amantes de vinho e de Yoga!


Campanha de Natal


Meus queridos visitantes do blog,
Hoje eu vim aqui apenas para pedir apoio a uma instituição pela qual tenho muita admiração - a ABET - Associação Brasileira de Esclerose Tuberosa. Eu não vou me alongar muito neste post porque os interessados podem entrar no site da Associação e ler toda a maravilhosa história da Márcia, fundadora da ABET, mãe de uma filha que tem a esclerose tuberosa e uma grande batalhadora na luta pelo auxílio a diversas crianças que sofrem com essa deficiência. Eu já visitei a ABET algumas vezes e levei algumas pequenas doações.  As pessoas que me conhecem há mais tempo devem lembrar de um aniversário (em julho) que pedi cobertores de doação ao invés de presentes. Como era frio, eu achei que a idéia seria interessante para poder levar um pouco de aconchego àqueles que pouco tem. A Márcia e as crianças agradeceram. Mas o principal é que nessa época, as pessoas naturalmente ficam mais emotivas e propensas a presentear aqueles que necessitam de auxílio. Ao invés de brinquedos, eu gostaria de pedir-lhes que ajudem a ABET com doações de fraudas geriátricas tamanho M ou com dinheiro. No mês de janeiro a Márcia já me contou que tem muita dificuldade para pagar as contas e os impostos. Ela até compreende, afinal, é mês de férias, gastos com os nossos próprios impostos e o tão desejado e merecidamente conquistado lazer.  Aqui eu vou postar um vídeo institucional da ABET para que vocês possam conhecer um pouquinho o trabalho que é feito por lá e, caso queiram, estou deixando também todos os endereços e contatos, para fazer a doação.

No site deles, no canto superior esquerdo há um link para fazer doações em dinheiro online. O procedimento é muito simples e vocês podem escolher fazer através de débito em conta, boleto bancário ou até cartão de crédito. Eu sei também que há infinitas instituições que precisam de auxílio e eu já encaminhei um email para várias pessoas com uma listinha de natal de crianças de um centro de educação infantil que se chama Fé e Alegria. Mas hoje estou pedindo um pouco de atenção à ABET. Se vocês não puderem fazer doação material, ainda há outra de importância ainda muito maior, a doação de um sorriso, um afago, um carinho. Façam uma visita à Associação e doem esperança.


Site: http://www.abet.org.br/


Endereço: Rua Joaquim Linhares, 30, Bairro Anchieta. 
Cep. 30310-030 – Belo Horizonte, Minas Gerais
Telefone: (31) 3221-1244 Fax: (31) 3223-7875

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vinho Rosé Chileno

Hoje vou indicar um vinho rosé chileno que fez o maior sucesso em um dia de encontro de amigos. Sentamos na varanda, saboreamos os pesticos e perdemos a hora em um delicioso bate-papo.
Carmen Classic Syrah / Cabernet Sauvignon Rosé 2009 (Viña Carmen) é do Produtor Viña Carmen, do Chile. Um vinho excelente, de aroma suave, sabor bem marcante e diferente dos outros rosés que experimentei.
Custo benefício muito bom!  Na faixa de R$ 32,00
Características técnicas comerciais
Produtor: Viña Carmen
País: Chile    Região: Chile
Safra: 2009   Tipo: Rosado
Volume: 750 ml
Uva: Syrah (50%) e Cabernet Sauvignon (50%)
Vinhedos: Colheita manual nos vinhedos do Vale de Maipo.
Vinificação: As uvas sofrem uma maceração a frio (5°C) em contato com as cascas. Depois de uma prensagem lenta, o sumo fermenta (cada uva separadamente) em cubas de aço inóxidavel, com as leveduras selecionadas a 12/14°C. Finalmente, os mostos são agrupados e filtrado
Maturação: Finalmente os mostos são agrupados e filtrados antes de serem engarrafados.
Temperatura de Serviço: 9 a 11ºC
Teor Alcoólico: 13% Vol.
Corpo: Médio
Sugestão de Guarda: Pronto para consumo.

Vale muito a pena experimentar!

Pêra ao champagne

Já que ontem peguei leve com o petisco e postei um dica bem light, hoje resolvi trazer uma sobremesa super fina e de sabor delicado. É a pêra ao champagne. A receita é super simples. Calcule meia pêra por pessoa. Compre 1 garrafa de espumante demi-sec (não precisa ser dos melhores!); separe 1/2 xícara de açúcar, 1 barra de 180g de chocolate meio amargo, 1 xícara de leite, 1 cravo da índia para cada metade de pêra, suco de 2 limões e folhas de hortelã que serão usadas para enfeitar o doce. Em primeiro lugar, separe uma vasilha com 1 litro de água e adicione o suco de limão. Insira as pêras (já descascadas e sem caroços) ali e deixe-as lá enquanto o seu jantar acontece para que não escureçam.  Uma dica que deu certo para mim: sabe aquele descascador de cenoura? Eu descasquei a pêra com ele e foi ótimo! Super prático e a casca saiu fininha.
Em uma panela, coloque aquela água com limão que está a pêra, junte o espumante, 1/2 xícara de açúcar e as pêras. Deixe que cozinhem até que estejam macias e "transparentes". Isso não demora muito. Aproximadamente uns 15 minutinhos. Reserve.
Faça uma calda de chocolate com aquela barra de meio amargo. Derreta-o em fogo baixinho para não queimar ou em banho-maria. Acresça o leite para que obtenha a consistência ideal - 1 xícara de leite é suficiente.
Espete os cravos na parte posterior das pêras. Eu coloquei apenas 1 cravo em cada metade da pêra porque acho o sabor muito forte. Mas se for do seu gosto, coloque mais.
Para organizar o prato, sirva cada um com meia pêra, uma bola de sorvete de creme e jogue a calda de chocolate por cima da pêra. Decore com as folhas de hortelã e raspas de chocolate meio-amargo.
Confesso a vocês que no dia que fui fazer essa sobremesa, teimei fazer conforme a minha memória e não peguei a receita. Esqueci, na primeira vez, do sorvete e da segunda, das raspas de chocolate. Mas o sucesso foi o mesmo nas duas! Portanto, mesmo com essa memória de formiga, a sobremesa ficou uma delícia! Imagine se você seguir tudo direitinho e não esquecer nada! Ficará superb!
Bon apetit!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Petiscos leves - II


Quem já não cansou de servir amendoins, castanhas e queijos de petisco?
Sim! São deliciosos! Eu também adoro! Mas as vezes preciso de um pouco de criatividade!
Esses dias fui fazer um almoço para amigos e resolvi que queria algo que fosse além de gostoso, leve e colorido. Pensei: legumes!
Isso mesmo! Servi legumes com molho tártaro.
Piquei em forma de grandes palitos cenoura, pimentão vermelho e amarelo, pepino japonês e beringela. Confesso que a beringela crua não ficou boa. Depois de um tempo parecia uma borracha misturada com isopor. Não recomendo! Mas os outros ficaram show! O molho tártaro, para quem não sabe, é muito simples de fazer em casa, basta misturar 150g de picles picado bastante miúdo com 250g de maionese. Fica um sonho! e é melhor que aqueles molhos comprados prontos. Mas nada contra a praticidade. Se não tiver tempo, vai no molho do supermercado mesmo! O importante é receber bem e agradar nossas visitas.
Para completar a minha tábua de petiscos servi azeitonas verdes e azapa (aquela chilena que é mais carnuda), mousses salgadas de atum e pepino (cujas receitas postarei em breve!) e pães italianos que já compro fatiados.
A taça utilizada para colocar os legumes me permitiu jogar um pouco de gelo ao fundo para deixá-los bem frescos. Veja se encontra alguma peça parecida para dar esse efeito legal.
O pessoal por aqui aprovou a idéia! E eu espero que vocês também!
Bon apetit!









terça-feira, 22 de novembro de 2011

Eu só quero chocolate!!!

Quem não gosta de chocolate deve viver de mau humor...
Isso é o verdadeiro néctar dos Deuses!
E foi por isso que escolhi para postar para vocês hoje as Barrinhas de Chocolate da Nigella.
São poucos ingredientes e, só para variar, é rápido e super fácil de fazer!
Você precisará de 300g de chocolate meio amargo (ela coloca na receita 70% cacau, mas como eu não encontrei no dia que fui comprar, usei o 55%), 125g de manteiga sem sal amolecida (uns 20 a 30 segundos no microondas ajuda amolecer), 3 colheres (das de sopa) de glucose de milho (tipo Karo), 200g de biscoito Maria, 100g de mini marshmallows e 2 colheres (das de sopa) de açúcar de confeiteiro para polvilhar.
Derretera o chocolate com a manteiga e o karo. Retire cerca de 125ml de chocolate derretido e reserve.
A Nigela ensina colocar os biscoitos dentro de um saco plástico e passar o rolo de macarrão por cima para quebra-los. Essa técnica é ótima porque deixa alguns bem pequenos, um pouco de farelo e pedaços um tanto maiores. Exatamente o necessário para a receita ficar perfeita!
Adicione o biscoito Maria partido aos pedaços ao restante chocolate, bem como os mini marshmallows. Misture bem e forre um tabuleiro pequeno com papel alumínio. Jogue a mistura e aperte bem para ficar uma massa compacta. Cubra por cima com o chocolate reservado e leve à geladeira por no mínimo 3 horas. Eu deixei da noite para o dia porque só iria servir no almoço.
Quando retirar da geladeira, corte em pequenos cubos e polvilhe açúcar de confeiteiro por cima. Para polvilhar esse açúcar utilize uma pequena peneira, pois ele as vezes vem grudado, como se fosse com caroços e a peneira ajuda a dar o aspecto bem leve do açúcar.
Aí é só servir e receber os elogios dos convidados!
Eu ainda enfeitei com mini marshmallows em volta que ficou fofo!
Bon apetit!


Filé ao molho de vinho

No último final de semana recebi dois casais de amigos em casa. A idéia era fazer um almoço. Virou jantar!
Após muitas garrafas de um vinho rosé sensacional, que em breve vou postar aqui para vocês, resolvi servir o prato. Fiz um filé ao molho de vinho, muito gostoso e que, por um pequeno erro, vi que pode ser servido de duas formas: com ou sem champignon. O meu erro foi ter separado e esquecido o cogumelo que fazia parte da receita. Mas tudo bem. O filet ficou ótimo e depois eu o experimentei com o champignon. Bom também!

Mas vamos à receita. Compre um filet conforme o número de pessoas. O cálculo, geralmente, é de 200g para cada um. 
Para esse prato começamos pelo molho. Ferva água com um tablete de caldo de carne, ou se preferir, faça o seu próprio caldo de carne em casa. Como eu sou adepta da cozinha prática, uso o tablete mesmo. Ele derreterá nesse litro de água. 
Enquanto essa água vai fervendo e derretendo o tabletinho, pique 1 cebola média e doure-a em uma panela com 1 colher (das de sopa) de manteiga e 1 colher (das de sopa) de azeite. Junte a ela aquele caldo de carne. Deixe reduzir um pouco. Ou seja, deixe fervendo por aproximadamente 30 a 40 minutos em fogo brando. Você verá que a quantidade de caldo diminuirá bastante! Acresça, agora, 1/4 de garrafa de vinho tinto seco, deixe ferver mais 10 minutos e, por último, acresça o champignon (que agora é opcional, uma vez que sem ele também fica bem saboroso).
A receita original diz para engrossar um pouco o molho com amido de milho ou farinha de trigo. Eu, pessoalmente, não me dou muito bem com essa técnica de engrossar molhos, então prefiro deixá-lo um pouco mais ralo. Para ficar perfeito, é preciso torrar a farinha antes e fazer todo um procedimento que não é lá dos mais práticos e rápidos como eu gosto na cozinha. E jogar o amido de milho ou a farinha no molho sem essa preparação nunca fica legal. Na minha opinião, o sabor dos farelos acabam se sobrepondo ao resto do molho. Portanto, cuidado quando for engrossar caldos!
Corte o filé em medalhões, tempere-os com um pouco de sal e pimenta do reino e faça-os na grelha, frigideira ou Wok. Não coloque muito sal, porque o caldo de carne já é bem temperado. Como ele será parte integrante da carne, caso você a faça com muito sal, não ficará boa!
Esse filet você saberá o ponto quando ele estiver coradinho dos dois lados. Por dentro ele ficará vermelho, um pouco menos que ao ponto. Coloque no prato e por cima jogue o molho de vinho.
Para acompanhar eu servi uma espécie de salada feita com o arroz sete grãos da Raris.
Essa você já pode deixar pronta com antecedência, pois não é preciso servir quente.
E o arroz fica pronto exatamente em 30 minutos como ensina no pacote. Basta ferver 3 xícaras de água, acrescentar 1 xícara de Raris e tempero a gosto (nesse caso, sugiro um tablete de caldo para arroz ou caldo de legumes). Deixe cozinhar por 30 minutos em fogo brando e com a panela semi tampada.
Quando esse arroz estiver pronto, misture a ele 1 xícara de pimentão amarelo picado miudinho, 1/2 xícara de passas brancas e 1/2 xícara de passas escuras, 1 xícara de frango defumado desfiado, salsinha e/ou cebolinha. 
Misture em uma vasilha pequena 2 colheres (das de sopa) de molho shoyo, 2 colheres (das de sopa) de azeite e 2 colheres (das de sopa) de molho inglês. Jogue esse molho no arroz e misture tudo muito bem para o tempero se espalhar uniformemente.
Na hora de servir com o filet, enforme em qualquer potinho que tiver em casa. O prato fica lindo!
Bon apetit !




segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Salada de tomate cereja à grega

 Após uma semana bem preguiçosa, com feriado no meio e um final de semana bem animado e agitado, com visitas para experimentar minhas "gordudices" é hora de voltar à realidade da salada de segunda-feira... Mas essa salada, como as outras que tenho trazido para esse blog, além de maravilhosamente deliciosa é linda!
Na semana passada eu resolvi fazer uma surpresinha de aniversário para minha irmã e não estava afim de elaborar petiscos complicados e pesados. Afinal, era segunda-feira e, apesar de ser véspera do feriado, imaginei que o pessoal poderia gostar de uma opção mais light para acompanhar pães italianos e um carrè de cordeiro que minha mãe fez e estava indecente de tão bom! Vou contar a vocês, foi um sucesso!
O procedimento dessa salada é o mais simples de todos!
Você precisará de 350g de tomate cereja; 1/2 xícara de cebola roxa picada bem fina; 1 e 1/2 xícara de pepino japonês fatiado, também bem fino; 1 xícara de azeitonas pretas (existem vidros com azeitonas portuguesas já sem caroço, o que facilita bem para quem vai comer. Mas as azeitonas azapa, que são negras e bem carnudas são as melhores!) e mais 400g de muçarela de búfala do tipo bolinha pequena (sim, está no dicionário! muçarela é com "ç" mesmo!).
Bom, faça pequeninos cortes em forma de cruz nos tomates. Isso permitirá que o tempero adentre-os para deixá-los bastante saborosos.
Misture todos os ingredientes em uma vasilha grande.
Para temperar você misturará 1/3 de xícara de azeite de oliva extravirgem, 2 colheres de sopa de vinagre branco, 1/2 colher de sopa de sal marinho (eu uso sal grosso e fica ótimo. Esse tal sal marinho é difícil demais de encontrar); 2 colheres de sopa de alho picado e 1/3 de xícara de salsa picada miudinha (pode trocar pela cebolinha que dá o mesmo efeito).
Com tudo misturado, jogue esse molho por cima dos ingredientes da salada e misture bem.
Tampe a vasilha e coloque por trinta minutos na geladeira. Pronto! Pode servir! Se estiver com muita pressa, pode servir na hora também, sem colocar na geladeira que fica bom!
A questão da geladeira é que o molho incorpora mais aos ingredientes dando-lhes um sabor mais apurado. Mas as duas formas impressionam!
Prepare uma mesa bem charmosa e... 
Bon apetit!


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Picanha com cheddar e purê de mandioca

Sábado passado fui convidada para um churrasco. Mas não era para qualquer churrasco. Era para eu aprender e fotografar essa maravilha que estou postando aqui hoje para vocês. Para os carnívoros, é de babar! Essa picanha com Cheddar é receita do André Ayres. Ele fez na churrasqueira dos meus queridos Vitor e Duda. Confesso a vocês que foi uma das melhores que já experimentei!
Pelo que vocês podem ver, não há muito mistério.  A picanha deve ser cortada em fatias grossas e por cima joga-se sal grosso.
Coloque na grelha da churrasqueira e vá virando. Não demora muito para a carne ficar no ponto certo. Ou seja, um pouco mais crua que ao ponto.
Assim que retirar da churrasqueira acrescente por cima uma generosa porção de queijo tipo cheddar (daqueles de pote como os de requeijão). Rapidamente ele vai se derretendo por cima da carne e... Yammmm! Fica bom demais!
Uma observação: se você não possui uma churrasqueira em casa, basta fazer o mesmo procedimento em uma frigideira bastante quente.
Para acompanhar, o André fez um pure de mandioca que advém de uma mandioca que num outro dia ele foi fazer e passou do ponto. Vejam como que de pequenos erros podem nascer maravilhosas receitas!Ele cozinha 1kg de mandioca descascada por aproximadamente 1 hora na panela de pressão. Amassa a mandioca com o garfo e mistura a ela uma cebola picadinha, uma peça de queijo provolone picada e cheiro verde (salsa e cebolinha). O queijo provolone quase desaparece derretido no meio da mandioca.

Fica sensacional! O sabor é incrível!
E o interessante, também, é a forma que ele serve tudo isso. Coloca em uma bela tábua de madeira tanto a picanha fatiada em pequeno pedaços quando o pure.  Distribuam os garfos. Todos atacam!
A interação gastronômica e o aprendizado foram fantásticos!
Valeu Vitor, Duda, André e toda a turma maravilhosa que estava no churrasco!
Espero que os visitantes desse blog possam aproveitar o sábado ou domingo com uma bela cervejinha para acompanhar essa delícia!
Fica a dica! 
Tenham todos um excelente final de semana!


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Inventando brusquetas

 Outro dia estava em casa à toa e resolvi inventar moda na cozinha.
Olhei o que tinha na geladeira, no freezer e resolvi inventar umas brusquetas.
Essas que eu fiz e estou postando para vocês são um pouco "falsificadas".
As brusquetas verdadeiras são um pouco mais elaboradas que essas simples torradinhas com sabores diversos. 
No livro "A Itália de Jamie Oliver", ele ensina que para preparar as brusquetas devemos deixar os pães no forno com azeite alguns minutos antes de colocar o sabor escolhido em cima. Mas eu faço de um modo mais simples. Compro os pães italianos no supermercado já fatiados.  Depois inventos os sabores, coloco-os por cima das fatias e mando ver para o forno. Em aproximadamente 15 a 20 minutos eles se transformam em deliciosas brusquetas que fazem muito sucesso quando servidas para as visitas. Como esse procedimento é muito simples, hoje eu resolvi aqui mostrar para você algumas opções das que fiz com o que tinha na geladeira.
Mas se vocês forem planejar, também dá para usar ingredientes fantásticos e fazer brusquetas muito interessantes e saborosas.
A primeira delas foi super tradicional, com pedacinhos de tomate, manjericão e azeite. Vocês podem jogar um pouquinho de molho de tomate ou colocar pequenos pedaços de tomate pelado que também fica muito bom!
Essa segunda opção foi feita com queijo gorgonzola e chutney de abacaxi. A Mistura do salgado do queijo com o doce picante do chutney gera um sabor sensacional!
A terceira opção foi muito simples, mas depois que o queijo derreteu ficou um espetáculo. Queijo gruyère com tamarinhos.
Para a quarta opção usei gorgonzola com azeitonas pretas. Ficou mais ou menos. Mas para quem gosta de azeitonas, vale a pena experimentar.
Essa aí eu fiz com queijo cottage e tomate seco. Ficou bom demais!
Aí já inveitei moda demais. Misturei atum enlatado, quejo e cebola picada bem miúda. Também ficou mais ou menos.
Esse é o segundo, de gorgonzola com chutney mais nozes. Muito, muito, bom!
Mais um tradicional de queijo, cebola, tomate e folhinhas de manjericão. Eu adoro.
Aqui estão todas as delícias prontas para ir ao forno!
Uma é de gryère com damasco, que traz aquela mistura de sal com doce que considero ótima! Outras tradicionais, porém com parmesão ralado bem fininho por cima e, por fim, a de pesto, feita com manjericão, parmesão ralado, sal, azeite e nozes ou pinoli. 
Eu tenho um pilãozinho de pedra sabão aqui que é maravilhoso! Recomendo!
Após o resultado dos 15 a 20 minutos de forno, as brusquestas ficam lindas e muito saborosas. São petiscos que acompanham muito bem vários tipos de drinks, vinhos, espumantes e até cerveja. Deliciem-se com as fotos dessas delícias! Tenham todos uma excelente quarta-feira!







segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Feliz Aniversário!

Hoje é um dia especial.
É aniversário da minha irmã e é também, aniversário de 1 mês de existência desse blog.
E para aniversários temos que fazer... BOLO !
Se for de chocolate... melhor ainda!


Esse bolo que fiz é mais uma daquelas receitas da Nigella de tirar o juízo de qualquer ser humano!
Apesar do pequeno acidente que tive ao fazê-lo, garanto que é muito simples.
Vocês acreditam que quando fui tirar a primeira forma do forno escorreguei e tudo se espatifou no chão!?
Quase sentei no chão para chorar!!! Mas não o fiz. Lavei todas as vasilhas e comecei o processo todo de novo! Valeu a pena. O bolo saiu lindo!!!
Mas vamos à receita!
Se vocês tiverem um processador em casa, perfeito! Mas caso não, vamos ao liquidificador!
Para o bolo, misture no processador 1 1/2 xícara de farinha de trigo, 1 xícara de açúcar, 1 colher (das de chá) de fermento, 1 colher (das de chá) de bicarbonato de sódio, 1 colher (das de chá) de baunilha, 2/3 de xícara (150ml) de creme de leite fresco (o que na Inglaterra eles chamam de creme azedo), 175g de manteiga sem sal mole (à temperatura ambiente, para poder misturar bem), 1/3 de xícara de cacau em pó e 2 ovos. 
Se for feito no liquidificador, eu sugiro ir jogando os ingredientes mais líquidos antes dos sólidos para conseguir fazer a mistura. à medida que for batendo, dê umas paradinhas e auxilie o procedimento misturando um pouco os ingredientes com uma espátula.
Com tudo isso misturado, unte uma forma com manteiga e dê uma leve polvilhada de farinha de trigo para a massa não grudar na forma na hora de tirar. A Nigella não faz essa referência na receita, mas eu acho mais prudente não arriscar grudar o bolo e não conseguir tirar.
Essa mistura é para ser colocada em duas formas de aproximadamente 20cm de diâmetro. Se você não tiver, pode colocar em um tabuleiro maior para depois partir o bolo ao meio e ter os dois.
Como já li várias vezes por aí... Quando há vontade, dá-se um jeito!
Portanto, se não tem a forma redonda, busca a quadrada, a retangular. O formato do bolo não vai fazer diferença. O importante é que esteja maravilhosamente delicioso.
Bom. Essa mistura nas formas ficará em forno baixo (180C) por aproximadamente 30 min. Mas o forno tem que estar pré aquecido, ou seja, quando resolver começar a receita, já acenda-o.
Para os que não sabem o ponto do bolo: Após os 30 minutos, pegue um palito e fure levemente o bolo. Se o palito sair seco, o bolo está pronto. Se sair com pedacinhos de massa, meio molhado, deixe mais 5 minutos e volte para fazer o mesmo teste. O tempo de forno às vezes é relativo porque alguns tem a chama mais forte que a de outros. Então é bom ficar de olho!
Enquanto os bolos assam você já pode preparar o recheio e a calda, que são uma coisa só.
Derreta 175g de chocolate meio amargo, duas colheres (das de sopa) cheias de manteiga, 1 colher (das de sopa) de Karo, 1 colher (das de chá) de baunilha, 1 xícara (125ml) de creme de leite fresco. Misture tudo fora do fogo. No processador, ou no liquidificador, bata 2 xícaras de açúcar de confeiteiro. Essa batida é para tirar os carocinhos que ele tem. Depois bata junto a esse açúcar a mistura de chocolate que acabou de fazer. Você vai se deparar com uma maravilhosa calda de chocolate brilhante e extremamente saborosa!
Reserve. Retire os bolos das formas. Em cima de um deles jogue 2/3 dessa mistura de chocolate. Coloque o outro bolo por cima. Se você tiver usado a técnica de um bolo só no tabuleiro, parta-o antes de jogar a mistura de chocolate. Depois coloque a outra metade por cima. Para finalizar, passe o restante dessa calda de chocolate ao redor de todo o bolo. Se quiser, decore.
É um bolo super tradicional, mas com um sabor sensacional! Tenho certeza que quando fizerem o pessoal de casa vai delirar!!!
E vocês vão entrar aqui no blog e me contar o resultado!!
Para não deixar ninguém com dúvida vou postar aqui também o vídeo da Nigella. A forma como ela cozinha e o prazer que tem em fazer o bolo dá fome!
Vale a pena conferir.
Feliz aniversário de um mês desse blog que conta com todos vocês que passam diariamente por aqui!
Já passamos de 4.300 visitas em 30 dias! Isso é muito bacana!
Muitas pessoas me escrevem dizendo que estão conseguindo fazer as receitas em casa e tomando gosto pela brincadeira. Isso me traz uma enorme satisfação e eu espero continuar atendendo as expectativas! Um grande abraço a todos com muito carinho e meu sincero agradecimento!
Adriana Lafetá



sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Folhado de goiabada

Hoje temos uma sobremesa bem brasileira e suuuuper fácil de fazer.
Um doce que considero muito versátil é a goiabada.
Podemos usá-la para diversas formas de sobremesa.
Essa de hoje foi inventada pela Fernanda, minha irmã, a caminho de um jantar, quando discutíamos, obviamente, o assunto favorito: comida!
A idéia é muito simples. Fiz uma espécie de rocambole de goiabada com massa folhada.
Tentamos fazer as flores individuais, como na foto abaixo. Mas descobri que para conseguir fazer isso dar certo, será preciso corta a massa folhada antes de assar. Não conseguimos fazer o rocambole inteiro e depois cortar para a flor ficar legal. 
Eu até pretendia tirar a foto da flor pronta. Mas logo que saiu do forno e fui servir, meus gulosos convidados não deram tempo para eu captar a imagem. 
Mas o folhado grande está aqui acima para vocês conferirem.
Bom, mas vamos a algumas dicas importantes dessa facílima receita.
Em primeiro lugar: a massa folhada tem que ser a laminada (que já vem aberta).
A goiabada é preferível que seja em pasta. Se for a dura, terá que derreter no microondas e, nesse caso, é preciso muito cuidado. Verifique de 1 em 1 minuto se a consistência está legal. Tudo depende da potência do seu microondas. Se deixar muito tempo ela pode queimar e aí bye bye sobremesa.
Por cima da goiabada, aplique uma camada de queijo catupiry.
Eu não sei como ficaria com requeijão de vidro. Mas imagino que não deve ficar lá essas maravilhas... Então é melhor comprar o catupiry mesmo!
Enrole a massa como um rocambole. Pincele gema por cima para dar essa coradinha na massa. Cubra o tabuleiro com papel alumínio para não grudar. Deixe aproximadamente 20 minutos no forno. Mas comece vigiar a partir dos 15 minutos, porque dependendo do seu tipo de forno, pode queimar ou o contrário, poderá pedir um pouquinho mais de fogo...
Na hora de servir, coloque uma pequena porção desse queijo ao lado do folhado para quebrar um pouco o doce.
Ficou divino! E meus convidados amaram! 
Bon apetit!


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Ressaca nunca mais!

Eu aposto que esse post vai ser um campeão de acessos...
Se há uma coisa triste é a tal da idade.
Ao mesmo tempo que juntamos experiências de vida e alegrias, não ficamos mais de ressaca, FICAMOS DOENTES!
Não dá mais para ficar embriagado depois dos 30! Tem que beber com a água ao lado, tomando cuidado para conseguir acordar no dia seguinte e sair da cama. Porque dependendo do estado, o sujeito fica na cama à base de água, sorvete e coca-cola até segunda-feira para conseguir ir ao trabalho.
Nada a favor dos bêbados! Acho-os super inconvenientes. Mas tem dias que a gente erra a mão. Tem dia que o estômago não aguenta.
Mas agora o mercado trouxe uma novidade sen-sa-ci-o-nal ! 
É o SECURITY. E não é que o tal chá preto com aroma de pêra, angélica e alcachofra funciona!
Depois dos drinks ou das várias garrafas de cerveja, vinho, whisk, vodka, cachaça ou seja lá qual for a sua tribo, tome a pequena dose do chá. Eu garanto! Você não ficará mais doente!

Descrição do produto

O SECURITY é uma bebida anti-ressaca natural, não alcoólica, a base de chá preto, alcachofra, angélica e aroma de pêra. Foi inventada no final dos anos 80 por dois pesquisadores franceses, depois de 6 anos de estudos, quando começou a ser comercializada internacionalmente, estando há mais de 16 anos e atualmente presente em 22 países, onde é líder e referência em solução para ressaca. O segredo do anti-ressaca SECURITY é a combinação, em concentrações precisas, de elementos naturais (alcachofra, angélica e chá preto) - que individualmente tem propriedades conhecidas no combate aos efeitos dos excessos de comida e bebida - que aceleram o processo de eliminação de toxinas que são as responsáveis pelo mal estar do dia seguinte. Isso permite que apenas uma garrafinha de 30ml, tomada após os exageros, reduza significativamente a ressaca e má digestão, em aproximadamente 45 minutos. O que mais impressiona é a sensação de bem estar descrita por quem experimenta. O SECURITY tem um efeito impactante para quem o experimenta pela primeira vez, e, na grande maioria das vezes, depois de um teste, ganha-se um fã, que passa a nunca mais querer arriscar uma ressaca.


Dicas de uso

O Security é uma bebida produzida e engarrafada na França, possuindo extratos naturais de ervas e plantas que isoladamente tem efeitos digestivos e desintoxicantes conhecidos e que combinados nesta simpática garrafinha com apenas 30 ml proporcionam uma sensação de alívio e conforto, especialmente depois dos excessos na comida e bebidas alcoolicas.
O Security não é um medicamento, é um produto natural, não alcoolico e que pode proporcionar benefícios diferentes e em velocidades variadas dependendo de cada pessoa, suas características pessoais específicas e seu estado ao tomá-lo. Experimente e veja como funciona para você.
Os diferentes momentos para beber Security dependem de você, dos eventuais exageros e do resultado desejado :

No final da noite

Depois de uma longa noite ou se beber um pouco além da conta - beba uma garrafinha antes de ir para a cama, tenha uma boa noite de sono e previna ou reduza bastante a ressaca no dia seguinte.

Durante a refeição

Uma garrafinha entre os pratos pode ativar a digestão de bebidas e comidas. Você pode se sentir mais leve ao final da refeição.

Depois da refeição

Bebeu muito? Comeu muito? Por sorte agora você tem o Security como um digestivo para ajudar a eliminar os excessos.


A garrafinha pode ser comprada no site deles:  
Vale a pena experimentar!

Mais um vinho para minha lista de favoritos

No último sábado, quando fui experimentar a massa negra com salmão, minha mãe e o Cleber, namorado dela, foram meios "cobaias". Vocês não imaginam o nervo que eu estava. Duas feras na cozinha que estão acostumados com comida francesa de primeira linha e euzinha aqui... pobre mortal que gosta de brincar de forno e fogão.
Me realizei naquele sábado. Tudo saiu perfeito e eles amaram! Repetiram os pratos!
Cozinhar assim é sensacional, verdade?
Pois é, e cozinhar com tudo dando certo e sendo brindada com um vinho perfeito é melhor ainda!
Eles trouxeram um Hautes Côtes de Nuits Les Herbues Domaine Hervé Murat, 2009.
Com certeza esse vinho entrou na minha lista de favoritos.
A cor dele é maravilhosa! Ele é suave, saboroso, perfeito.
Procurei sobre ele em nosso oráculo (=google) e encontrei em um blog a descrição feita por Patrick Essa, fundador e animador do site Degustateurs.com, profundo conhecedor da Bourgogne e vinificador talentoso. Roubei a descrição e copiei aqui para vocês. Segundo ele, "Hervé Murat, o superdotado da Côtes de Nuits". Vinhedo na parte baixa, caso raro na denominação, exposto em pleno Sul, com 1,52 ha, nas comunas de Concoeur e Villars Fontaine. O perfil deste vinho seduz no primeiro contato pela cor sombria, com reflexos rubi profundos . Os aromas explodem ao nariz com acentos de amoras, fina torrefação e cerejas selvagens introduzindo uma boca esbelta e aristocrática que lembra os Vosne Romanée cultivados ao lado. Que vinho, meus amigos! Tanto pela sua riqueza como pela sua acessibilidade ele veste a roupa de um Village de alta linhagem e sua persistência saborosa oferece mais ainda. Um Hautes Côtes de altíssimo nível. Excelente!
É muito chique essas descrições que o sommelier faz! Acho fantástico. Um dia ainda chego lá!
Meu único pesar é que é um vinho que está na faixa de preço mais alta, por volta de R$100,00.
Mas para ocasiões especiais, vale a pena!
Santé!

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Massa negra com salmão

Hoje vou postar uma receita feita com massa negra e salmão. Não assustem! É muito fácil!
É daquelas que a fazemos rapidamente e nossos convidados pensam que é um prato super elaborado. Deixem pensar! Vamos valorizar nossos minutos dedicados ao prazer de comer e ao pecado da gula!
Essa é uma receita da Nigela. Ela também apresenta um programa no GNT, assim como o Jamie Oliver. Já perceberam que eu sou um pouco viciada nesse canal! Tem ótimas dicas gastrômicas! E esses chefs publicam livros com as receitas desses programas. A de hoje é do livro Nigela Express - Receitas rápidas e saborosas.


Para fazer esse pratos vocês precisarão de 2 colheres (das de sopa) de azeite de alho (são aqueles azeites aromatizados. Já tem em qualquer supermercado); duas cebolas brancas cortadas em finas fatias, 300g de filet de salmão (a receita original indica salmonete, mas não o encontrei, então foi salmão mesmo. Comprem a peça já limpa para dar mais praticidade à sua cozinha); 250 ml de vinho rosé, 1/2 colher (das de chá) de sal; uma pitadinha de pimenta do reino; dois tomates cortados em cubinhos (bem pequeninos); 2 colheres de sopa de alcaparras (as pessoas gostam de lavar as alcaparras, mas eu não lavo para aproveitar o tempero. Vocês podem fazer como preferirem); 1 colher (das de sopa  de manteiga (porque toda receita boa temque ter a tal da manteiga!); 250 g de massa negra (daquelas feitas com tinta de lula. Eu gosto muito da Colavita) e por fim, um punhado de majericão para alegrar  e finalizar o nosso prato.
Para começar, já ferva a água que será utilizada para cozinhar o macarrão, jogue um fio de azeite ou óleo e uma colher cheia (das de sopa) de sal. Atenção com essa parte. A minha panela, por exemplo, é muito grande, então eu já coloco a água para ferver bem antes de começar a cozinhar. Ela deve demorar uns vinte minutos. Então, tenha esse cuidado para não ter o molho pronto e a massa crua. Pegue a peça de salmon e lave-a um pouco em água corrente. Reserve.
Pegue uma frigideira grande. Aqueça as duas colheres de azeite. Jogue as cebolas e aguarde 1 minuto. Coloque a peça de salmon, com o lado da pele para baixo. Aguarde aproximadamente 3 minutos e vire-o na frigideira. Aguarde mais 3 minutos e jogue o vinho rosé. Tempere com o sal e a pimenta do reino.
Aguarde mais 1 minutinho, retire o filet de salmon da frigideira e embale-o em papel alumínio para não esfriar.
Confira se a água que você colocou na panela do macarrão já está fervendo! Caso sim, jogue a massa lá dentro. Ela deve levar 7 a 8 minutos para cozinhar (confira o tempo no pacote da massa que você comprar. Algumas caseiras têm o tempo de cozimento reduzido).
Deixe a mistura com o vinho ferver por 3 minutos, junte o tomate, as alcaparras e a manteiga. Misture bem, ainda no fogo. 
Escorra o macarrão que a essa hora já deverá esta cozido. Junte-o ao molho que está na frigeira e mexa suavemente.
Desfie o peixe em lascas e misture-o, com manjericão à massa. Reserve algumas folhas para decoração final do prato.
Voilá! Em aproximadamente 20 minutos você terá o prato lindo! Delicioso! E fará o maior sucesso!

Essa receita rende 2 porções para prato principal. Se quiser como entrada serve 4 pessoas.
Bon apetit!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Sanduíche Natural

Sabe aqueles dias que você chega em casa sem uma gota de energia para encarar o fogão?
Pois é para esses dias que reservo esse sanduíche natural.
Ele alimenta, é light, rápido, fácil, versátil e delicioso! Se algum dia sobrar um pedaço de frango, não jogue fora!!! Desfie e congele, pois você poderá utilizá-lo em breve! O mesmo para carnes. Mas, quando não há esses "restinhos" na geladeira, uma latinha de sardinha ou de atum, um presunto, peito de peru, mortadela ou semelhantes, também resolvem o problema.
Sempre deixo uma vasilha pequena com tomate picado e outra com alface lavada na geladeira. Um ótimo truque para ela durar alguns dias sem murchar é colocar as folhas separadas por papel toalha. Assim, quando você chegar, nem precisa se dar ao trabalho de lavar verduras. Mas se lhe resta um pouco de energia, o ideal é lavar e picar na hora mesmo.
Bom, mas esse sanduíche maravilhoso que você está vendo na foto já é um companheiro de longa data. Faço algumas variações, mas a base é ser sempre nutritivo e leve, afinal, faço para comer a noite,  mas, obviamente, nada impede que façam para um lanche durante o dia, para um piquenique ou qualquer hora que lhe der na telha! 
Para duas fatias de pão integral, utilize uma colher (das de sopa) de queijo tipo cottage ou ricota ou creme de queijo ou creme de ricota (o requeijão eu não acho que fica muito legal, mas se preferirem, podem tentar). Espalhe o que escolher nas fatias de pão, salpique alface e tomate. Se você tiver outras folhas em casa, também pode misturar que fica ótimo! Tais como, rúcula, agrião, majericão, etc. A cebola crua, fatiada bem fina, para quem gosta, dá um toque crocante bem interessante. 
No centro dessa salada toda salpique a carne que escolher. Pode ser qualquer uma das que citei acima desfiadas ou, no caso de presunto e similares, aconselho cortar fatias finas para tirar um pouco aquele aspecto de sanduíche normal, de todo dia. Você pode pingar algumas gotas de ketchup e mostarda  ou  aceto balsâmico (duas gotas apenas!) para dar uma temperada mais forte. Mas nem sempre é necessário.
O bom de colocar muita salada verde com tomate é que o sanduíche fica alto, bonito e muito apetitoso. E como comemos com os olhos em primeiro lugar, o visual da refeição tem sempre que ser bacana!
Bon apetit !

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Salada verde com pêra e nozes

Segunda-feira é dia de...... SALADA!!! Vamos tentar iniciar a dieta mais uma vez! Mas já vou avisando que essa semana reserva algumas "gordudices". Então é melhor segurar a fome! rsrs..
A salada que estou postando hoje me surpreendeu. Quando li a receita no livro do chef inglês Jamie Oliver, confesso que achei meio estranha. Mas resolvi experimentar. Essa é uma das receitas que ele apresentou logo no início dos programas. Vejam na capa do livro como era um menino! E já esbanjava talento na cozinha...
Essa é uma daquelas receitas que fazemos em 5 minutos! E isso é ótimo! Para fazer a salada vocês utilizarão um molho de agrião e um de rúcula. Corte os talos das folhas e dispense-os. Calcule meia pêra por pessoa. Corte-a ao meio e retire os caroços. Depois corte novamente da forma que achar melhor. Pode ser em fatias ou pedaços mais grosseiros. Separe 1/4 de uma delas para ralar. Junte as folhas com as frutas picadas e ralada. Jogue um fio de azeite extra virgem e o suco de meio limão siciliano. Tempere com uma pitada de sal e pimenta do reino. Misture tudo com as mãos para o tempero ficar uniforme. Rale queijo parmesão em lascas mais grosseiras e polvilhe por cima nozes, que darão um toque muito especial à salada.Essa receita é excelente para servir de entrada ou para acompanhar carnes. Mas atenção! Não é salada para deixar pronta. A pêra escurece muito rapidamente, portanto, você pode até deixar as folhas lavadas e o queijo ralado. Mas deixe para cortar a fruta somente na hora de servir.
É surpreendente, pois a mistura das folhas de sabor forte e picante, a suavidade e leve adocicado da pêra, que é ligeiramente quebrado com o limão, formam a combinação perfeita. Para completar, as nozes também trazem um toque bem especial à receita.
Salada não precisa ser apenas feita com alface, tomate, cenoura e cebola.
Pode ser muito mais criativa, saborosa e linda!
Se quiserem conferir Jamie Oliver ensinando a receita, o vídeo está no site do GNT, mas não consegui inserir aqui no blog. Então, podem tentar no link: Naked Chef: salada com pêra e nozes
Boa semana e bon apetit!

domingo, 6 de novembro de 2011

Videoteca Gastronômica

Outro dia alguém brincou comigo dizendo que eu estava me tornando uma chef.
Não! Nem de perto, nem de longe, nem de jeito algum!
Ser chef é uma das atividades mais difíceis que um cozinheiro pode assumir. Comandar uma cozinha é tarefa para quem realmente tem esse talento.
Nós, que nos aventuramos e brincamos com forno e fogão, podemos, para soar diferente, dizer que somos "cozinheiros gourmet".
Agora, se vocês querem um bom exemplo do que é  um verdadeiro chef, assistam Vatel - Um banquete para o Rei. Um filme de 2000, de beleza inspiradora.

Sinopse: O ano é 1671 e o rei Luís XIV (Julian Sands) vive em Versailles. No norte da França, o Príncipe de Condé (Julian Glover), enterrado em dívidas, planeja uma solução para fazer com que não só ele mas toda a província fique livre das dívidas: ele decide convidar o rei para passar um final de semana recheado de iguarias e entretenimento. Se o Príncipe conseguir cair nas graças do rei, toda a região será salva do desastre econômico. Porém, apenas um homem poderá preparar um banquete suntuoso e ainda cuidar da diversão real: François Vatel, o mordomo do Príncipe. Mas em meio a todo o trabalho resultante da preparação para a visita real, Vatel se apaixona pela bela Anne de Montausier (Uma Thurman), o que atrapalha os planos do Príncipe de Condé.
Gérard Depardieu é brilhante em sua atuação como Missier Vatel. A história da construção do banquete para o Rei revela criatividade e beleza, angústia e magia. O filme é completo. Tudo é perfeito. Fotografia, atores, direção, produção, música. Vale a pena aproveitar a preguiça do domingo e correr na locadora para procurar o dvd.



Após encaminhar esse post recebi a resposta de uma grande amiga da família, que há alguns anos mora em Paris. Ela encaminhou, nada mais, nada menos, que a foto da famosa cozinha do castelo que pertenceu a Fouquet - o patrão de Vatel. Vejam se não é de dar água na boca!


Um domingo bem apetitoso a vocês!

sábado, 5 de novembro de 2011

Um vinho para as deliciosas ocasiões informais

Em julho, no meu aniversário, ganhei de uma grande amiga, um caderno de sommelier. Virou uma mania! Todas as vezes que me deparo com um vinho que adoro, guardo a garrafa para anotar no caderno o nome, ano, uva, com quem tomei, a data, a ocasião, etc. Às vezes consigo retirar o rótulo sem rasgar para guardar. Mas como nem sempre isso é possível, tiro uma foto da garrafa e anoto as descrições no tal caderninho.
Em agosto recebi a visita de um amigo muito especial, que não via há anos e que me brindou com verdadeiras aulas de vinhos, viagens e culinária.
Além desse do delicioso bate-papo fui presenteada com um vinho que hoje vou indicar a vocês: o Ventisquero Reserva Carmenère 2005, premiado com a medalha “Great Gold Medal” de 2006 do Concurso Mundial de Bruxelas.
Fui pesquisar um pouco sobre a vinícola dele (Viña Ventisquero) e vi que ela é muita nova. As uvas são cultivadas no Chile, na regiões de Maipo Chile Vale da Costa, Casablanca, Colchagua e Leyda.
Segundo a descrição comercial, “este Carmenère Reserva vermelho profundo com notas de cereja marrom, apresenta um aroma intenso e elegante, que destacam notas de frutos pretos e vermelhos maduros e blueberry, amora, groselha, morango e cereja, com notas de especiarias que se misturam harmoniosamente com dicas rapé, chocolate e madeira fina. Na boca melhora o seu rico corpo equilibrado, gordo e aveludado com taninos que lhe dão um grande volume. Limpo e elegante. Você deve beber entre 16-18 º C. Acompanhamento ideal para queijos de pasta mole, pratos à base de creme, massas e carnes, como porco e cordeiro”.
Minha mera condição de apreciadora me permitiria dizer que é um vinho bem frutado, com aroma intenso, corpo médio e bem equilibrado. Acho que para mim isso basta para dizer que é uma excelente indicação para jantares e ocasiões informais. Preço médio de R$40,00.
Vale a pena experimentar!
Salud!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Delícia de receita LIGHT

Eu sei que ontem peguei pesado com o Sundae Chic... Então resolvi me redimir com quem briga com a balança e trouxe um Filet de frango ao molho gorgonzola e iogurte. É light!
Olha... vou contar a vocês, se há uma carne que considero difícil fazer é o tal do filet de peito de frango.
Se deixamos pouco, fica cru, se deixamos demais vira uma borracha.
Não tem jeito. Essa parte do frango é difícil mesmo e muito sem sabor.
Mas essa semana fui conferir as receitas da Cynthia Maggi, uma cozinheira de mão cheia que tinha um programa só de comida light na TV, o qual seguíamos fervorosamente, já que eu, para variar, estava brigando com a balança.
As receitas eram tão interessantes, fáceis e rápidas, que até compramos a apostila com um programa de educação alimentar. Funcionou bem! E hoje vou postar aqui para vocês um filet de peito de frango que ela conseguiu deixar muito gostoso e com uma quantidade razoável de calorias.
Cada porção tem em média 210 Kcal.
Servi junto a este frango batatinhas e arroz.
Mas é interessante variar com alguns legumes e verduras, como, por exemplo, que imagino ficar delicioso e lindo no prato, os aspargos frescos somente no vapor. Só pensei nisso mais tarde, então foi sem mesmo...
Mas vamos lá!
Separem 500 g de filé de frango desossado e tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Passe em frigideira a fogo baixo, de teflon, para não precisar usar gordura (um fio de azeite é suficiente, mas nem sempre é preciso).
Em uma panela bem pequena, dissolva 1 colher de sobremesa de farinha de trigo em meia xícara de água.
Eu gosto de dissolver essa farinha com o fouet. Adicione 30 g de queijo gorgonzola já esfarelado. Deixe engrossar. Retire do fogo, acrescente 1 potinho de iogurte natural. Por último, salsinha  sobre os filés. O ideal é que seja um iogurte mais cremoso para não talhar ao misturar com o molho quente.
O resultado é um prato rápido, light e super gostoso. Bon appétit!



quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sundae Chic

Adocicar as papilas gustativas após uma apetitosa refeição é a finalização perfeita do culto à gula!
Por isso, após apresentar nesse blog algumas opções de petiscos, entradas e pratos principais, hoje vou me dedicar à sobremesa.
Essa aqui eu aprendi com o Zé, um amigo de Brasília que também ama se aventurar na cozinha e faz coisas deliciosas.
O Sundae Chic é um sorvete que servimos com uma redução de frutas vermelhas e farofa doce crocante.
É preciso um pouco de tempo, pois a redução de frutas vermelhas demora aproximadamente uma hora hora para ficar no ponto. Mas vale a pena!
Para começar, vamos escolher as frutas que serão usadas. Para fazer essa da foto comprei morango, blueberry e amoras. Framboesas também são ótimas para essa calda, mas não tinha no dia que fui comprar. Corte-as grosseiramente num total de aproximadamente 250g de frutas. Reserve algumas inteiras para decorar depois.
Coloque em uma panela 300ml de vinho tinto, 25ml de aceto balsâmico e especiarias (canela em pau, anis estrelado, cravo, cardamomo, etc). Na receita do Zé, ele diz que devemos fazer uma trouxinha com essas especiarias para colocar na panela. Como eu não tinha como fazer isso aqui e nem tinha todas essas especiarias da receita, joguei na panela misturado com tudo mesmo, a canela em pau, anis estrelado e um pouco de ervas de provence (que podemos comprar no supermercado). Na hora de servir eu separei a canela e o anis.
A receita diz "adoce a gosto". Isso para quem não tem noção de fogão é o "Ó". Mas vou tentar quantificar como aproximadamente meia xícara.

Depois vocês devem ir provando e se acharem que está muito ácido, acresçam o açúcar aos poucos até ficar com o sabor doce e agradável. Assim que começar ferver, abaixe o fogo e deixe reduzir até a textura que quiser. Isso significa dizer, se você quiser uma calda bem grossa, a redução demorará mais tempo, se quiser mais fina, em aproximadamente 30 a 40 minutos chegará no ponto.
Essa calda pode ser servida quente ou fria. Eu, particularmente, prefiro quente!
Agora o segundo passo, a farofa doce crocante! Ai! Como isso é bom! E fácil! Em uma vasilha, vocês misturarão 1 xícara de Neston, 1 xícara de açúcar refinado e 30g de manteiga sem sal derretida. Essa manteiga deve ser jogada aos poucos na mistura. Rapidamente vocês verão a farofa úmida, porém ainda solta. Uma verdadeira delícia! Perigosa porque dá vontade de comer pura, sem mais nada! Hummm. É muito bom!
Na hora de servir, uma bola de sorvete do sabor de sua preferência. Mas eu sugiro de creme ou algum com gosto leve para não "brigar" com a calda. Jogue por cima a calda, algumas frutas, a farofa e cometa o pecado da gula!
Bon apetit!


2 de novembro

Em qual desses dois mundos estamos?


Esses dias, para continuar um trabalho legislativo que estou fazendo, tive que visitar os cemitérios de Belo Horizonte.
Mórbido?
Não. Para mim foi belo.
Com a câmera em mãos captei imagens fantásticas.
Cenas que mostram a importância que damos aos que se vão.
A preocupação com a arte para abrigar a casa do corpo que usamos nessa vida me impressionou.
Será que cuidamos tão bem de nós, de nossos corpos, de nossas casas, de nossos amigos e familiares a merecer luxuosas esculturas em homenagem à nossa memória?
Existem lindas obras nos cemitérios. Lindas mesmo! 
E é exatamente por isso que hoje, no dia de finados, reservei imagens belas para mostrar a vocês.
Belas porque não estamos aqui tratando da morte, mas sim, celebrando o que alguns acreditam ser o novo caminho para a vida eterna.


Se essa vida é apenas uma passagem, não sei...
Se temos carmas a cumprir, talvez...
Se há uma luz no fim do túnel que nos levará a algum lugar melhor... Espero que sim.
Mas por enquanto, se escolhemos o mundo dos vivos, que seja com arte, com amor, dedicação, confraternização, consideração, cumplicidade, lealdade, respeito, tempo.
Neste dia em que se dedicam minutos de oração ou memória aos que se foram, dediquem um sorriso ao desconhecido que lhe passar à frente e dêem-lhe um bom dia.
Precisamos ser lembrados em vida! Queremos ser chamados às celebrações agora!
Afinal, por mais piegas que tenha ficado a frase de Chico Xavier, nada mais certo que...
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode (re)começar agora e fazer um novo fim."
Meus sinceros agradecimentos por esses últimos dias de muita satisfação, ao receber emails, mensagens e telefonemas com elogios, frases de incentivo e verdadeiras demonstrações de carinho.
Tudo isso serve simplesmente, para me mostrar que vale a pena estar nesse mundo, que vale a pena continuar, que vale a pena viver!

Adriana Lafetá

Amanhã tem receita!!!